Análise de risco: o que é, para que serve e como fazer?

Entenda O Que É a Análise de Risco, Para Que Serve e Como Fazer!

Mesmo com muito planejamento e organização, as empresas estão sujeitas a imprevistos e situações que fogem do controle e podem afetar negativamente os resultados. 

A análise de riscos pode ajudar a prever as circunstâncias prejudiciais ao negócio e a traçar planos de ação para diminuir os impactos negativos.

Neste artigo, você vai entender quando, como e por que fazer uma análise de risco

É só continuar lendo!

Quer ir além na gestão do seu negócio? Conquiste muito mais autonomia e assertividade com o ERP WebMais.

Análise de risco

O Que É Análise de Risco?

A análise de risco é um processo que avalia a probabilidade de determinados eventos e os impactos que eles podem causar na empresa. 

Por meio dele, os gestores conseguem identificar previamente os problemas que podem surgir no futuro e, assim, se preparar melhor para enfrentar essas situações, de modo a evitar que seus impactos prejudiquem a operação da empresa e até ameacem o seu funcionamento.

Toda empresa deve fazer a análise de riscos. E, mais ainda, o processo deve ser adotado por todos os setores – segurança do trabalho, finanças, análise ambiental, entre outras.

O Que É Um Risco? 

Um risco é um evento de probabilidade incerta, que pode impactar os resultados de um negócio ou projeto. É importante dizer que o risco nem sempre é ruim – alguns representam ameaças; outros, oportunidades.

Para Que Serve a Análise de Risco?

Para Que Serve a Análise de Risco?

amplia a estabilidade das operações;
cria um ambiente de trabalho protegido;
ajuda a empresa a entender quais seguros ou demais serviços precisa contratar;
indica se os riscos serão compensados pelos benefícios;
identifica lacunas de segurança previamente;
permite o planejamento para tomada de decisão e respostas rápidas em casos de falhas e imprevistos.

O principal objetivo da análise de riscos é antecipar as situações que possam representar ameaças e oportunidades para o negócio e conhecer as probabilidades de que cada uma ocorra.

A partir desse conhecimento, a empresa consegue elaborar planos de ação para enfrentar cada uma delas, seja para diminuir os impactos negativos ou para aproveitar melhor a oportunidade. 

Além disso, a análise de riscos permite que a empresa tome as providências necessárias para mitigar os riscos negativos.

Esse processo traz uma série de vantagens para o negócio:

  • amplia a estabilidade das operações;
  • cria um ambiente de trabalho protegido;
  • ajuda a empresa a entender quais seguros ou demais serviços precisa contratar;
  • indica se os riscos serão compensados pelos benefícios;
  • identifica lacunas de segurança previamente;
  • permite o planejamento para tomada de decisão e respostas rápidas em casos de falhas e imprevistos.

Quais São os Tipos de Risco Que Impactam Negativamente as Empresas?

Existem diversos tipos de riscos que ameaçam as empresas, mas, no mercado corporativo, alguns são mais comuns. 

Conhecê-los é fundamental para saber como mitigá-los e enfrentá-los e, por isso, a seguir falamos mais sobre os principais!

Riscos Especulativos

Os riscos especulativos são aqueles sobre os quais não se pode ter certeza se a empresa ganha ou perde ao assumi-los. Na prática, a única coisa possível de ser feita é a especulação sobre a sua ocorrência, impactos e ações a serem tomadas.

Esses são alguns dos riscos especulativos mais comuns:

  • riscos administrativos e financeiros: são aqueles nos quais o dinheiro está diretamente envolvido;
  • riscos políticos: são considerados a partir do ponto de vista da estabilidade do contexto em que se atua, principalmente quando o mercado é diretamente influenciado pela política;
  • riscos de inovação: em ambientes tecnológicos, há sempre riscos a serem tomados quando se inova ou quando a empresa opta pela estagnação.

Riscos Reais

São aqueles em que a empresa não tem oportunidade de ganho e há somente a possibilidade de perdas reais. 

Esses são alguns exemplos de riscos reais:

  • riscos à propriedade: são aqueles que podem causar a perda de bens, com a destruição da sede da empresa ou a perda de equipamentos, por exemplo;
  • riscos às pessoas: dizem respeito às pessoas que atuam na empresa, como doenças e acidentes de trabalho;
  • riscos de responsabilidade: são aqueles que envolvem os riscos causados pela empresa ao meio ambiente. Normalmente, trazem consequências como o pagamento de multas e indenizações e prejudicam a imagem da empresa perante o mercado.

Como É Feita a Análise de Risco?

A análise de risco é feita em 5 etapas que você conhece a seguir!

Como é feita a análise de risco?

1. Defina a situação a ser analisada;
2. Estabeleça o grau de cada risco;
3. Defina suas estratégias;
4. documente e formalize a análise de risco;
5. Controle e efetue uma revisão periódica.

1 – Defina a Situação a Ser Analisada

A análise de riscos sempre deve ser feita em relação a uma situação específica. Para entender as situações que devem ser avaliadas, você deve desmembrar os processos da empresa e considerar as diferentes ações que os compõem.

Assim, saberá quais eventos ameaçam cada um dos processos do seu negócio.

2 – Estabeleça o Grau de cada Risco

Depois de escolher uma situação para analisar, é hora de estabelecer o seu grau de risco. Isso pode ser feito usando uma fórmula matemática que considera a probabilidade de ocorrência e a gravidade do resultado. 

Ao final, cada risco será representado por um número, que vai indicar se o seu nível é alto, médio ou baixo.

3 – Defina Suas Estratégias

O próximo passo é definir o que deverá ser feito caso o evento aconteça. É preciso traçar estratégias para diferentes momentos, com diferentes objetivos. Antes que o evento aconteça, a empresa deve adotar ações para evitá-los, por exemplo. 

Mas, caso o evento realmente ocorra, é preciso saber o que fazer tanto para diminuir os impactos causados como para explorar as oportunidades que ele pode trazer.

4 – Documente e Formalize a Análise de Risco

Todas as etapas do processo de análise de risco devem ser documentadas. Dessa forma, todo o time pode consultar o documento quando for necessário – e é muito importante que as equipes tenham conhecimento sobre os planos para os riscos relacionados às suas atividades.

5 – Controle e Efetue Uma Revisão Periódica

Defina uma frequência para revisar a sua análise. Como tudo o que é feito na empresa, esse processo também precisa ser atualizado e passar por aprimoramentos ao longo do tempo.

Quando Se Deve Fazer Uma Análise de Risco?

A análise de riscos pode ser feita em diferentes momentos do negócio. Um exemplo comum é analisar os eventos possíveis antes de fazer novos investimentos.

A análise também pode ser feita antes de lançar novos produtos, expandir os negócios, prospectar novos clientes e fazer mudanças no time, por exemplo.

Conclusão

Quando bem feita, a análise de riscos vai munir a empresa com conhecimento e estratégias corretas para enfrentar cada tipo de ameaça. 

Dessa forma, é possível manter tanto a saúde financeira como seu bom funcionamento, afastando as possibilidades de diferentes tipos de perda.

Deixe um comentário

8 + 18 =