homem-mexendo-computador-com-boleto-mão

Gere boletos com facilidade e segurança dentro do seu ERP

Cobrar os seus clientes por meio de boleto bancário pode ser uma ótima forma de trazer credibilidade para o seu negócio. Mas como gerar boletos e usar esse meio de pagamento rápido e prático na sua empresa?

Confira, neste post, um guia completo sobre a origem, vantagens, benefícios do uso, assim como a facilidade de emissão com a ajuda de um software ERP (Enterprise Resource Planning) como o WebMais.

Não perca tempo e inicie a leitura agora mesmo!  

O que é o boleto bancário? 

O boleto bancário, simplesmente conhecido como ‘boleto’, é um método de pagamento e foi regulamentado em 1993 pelo Banco Central do Brasil e pela FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos). É por meio desse famoso meio de pagamento que os brasileiros pagam suas contas de consumo, faturas de cartão crédito e fazem compras.

Uma conversa sobre formas de pagamento no Brasil sempre começa com ele: o boleto bancário. Faz parte da rotina do brasileiro, tanto que nem o aumento significativo do número de smartphones e nem a penetração da internet afetaram o seu protagonismo.

Raio-x do uso dos boletos bancários no Brasil

A Beyond Borders Research 2018-2019, da EBANX, identificou que, por necessidade, por escolha ou simplesmente por hábito, o boleto é um dos meios de pagamento mais utilizados no País.

Para a análise, foram entrevistados 3 mil brasileiros de diferentes regiões, idades e condições socioeconômicas que compraram em sites internacionais até 12 meses antes de setembro. Os resultados mostram que 51,5% dos entrevistados usaram o boleto para pagar produtos e serviços estrangeiros. Entre os que fizeram essa escolha, 53% possuíam cartão de crédito.

Já para transações dentro do país o pagamento com boleto bancário é apontado como a melhor maneira de efetuar uma cobrança, segundo 75% dos consumidores brasileiros entrevistados na pesquisa feita pelo E-commerce Brasil e o Sebrae. Inclusive, segundo o levantamento, são aproximadamente 3,6 bilhões de boletos emitidos por ano.  

Para explorar todo o potencial do mercado brasileiro, o boleto é quase obrigatório. E, embora a relevância desse método possa parecer arcaica para quem está de fora, um olhar atento sobre a configuração e a cultura do consumidor brasileiro permitem entender sua importância para o país.

O Instituto Locomotiva revelou que, somente no Brasil, há mais de 45 milhões de pessoas desbancarizadas – um grupo que movimenta anualmente mais de R$ 800 bilhões. Isso significa 29% da população adulta do Brasil. 86% dessas pessoas se concentram nas classes econômicas C, D e E, parcela menos conectada e com maior informalidade de trabalho.

A pesquisa Beyond Borders constatou que a opção pelo boleto também é significativa entre os consumidores com conta-corrente: 53% dos entrevistados que decidiram pagar dessa maneira tinham cartão de crédito. 

Isso revela uma insegurança do cliente de fornecer os dados do cartão de crédito para ‘qualquer um’. O uso do boleto bancário é uma segurança para o cliente que tem medo da clonagem das informações.

Os números da pesquisa Beyond Borders reforçam essa sensação de segurança. Entre os que optaram pelo pagamento em dinheiro, 53% imprimiram o boleto e pagaram na lotérica e 45% usaram aplicativos bancários em seus smartphones. Para o consumidor brasileiro, além da praticidade, o boleto impresso representa um controle. 

Mais do que uma forma de pagamento, o boleto quebra barreiras do consumidor e seu acesso a serviços e produtos. Viu como é importante sua empresa gerar boletos? É a chance de acessar consumidores que não teriam chance de pagar de outra maneira ou mesmo que preferem boletos!

sistema de gestão de pagamentos e recebimentos webmais

Como funciona o boleto bancário 

Qualquer empresa, não importa o seu tamanho ou área de atuação, pode (e deve) gerar boletos. Para colocar a ideia em prática basta ter uma conta corrente em uma instituição financeira e uma carteira de cobrança atrelada a ela. 

E o melhor: hoje o acesso está muito mais fácil, é possível gerar boletos por fintechs como Juno e Nubank, não necessariamente apenas pelos bancos tradicionais.  

Dessa forma, a empresa se torna apta para enviar boletos aos clientes pagadores. E importante: vale destacar que esse processo pode acontecer tanto via banco como com a ajuda da tecnologia de sistemas ERP.

Aceitos em todo o país, caso o cliente o perca ou seja extraviado, é fácil gerar uma segunda via do boleto. 

Os tipos de boletos bancários

Até o final de 2017 era comum existir boletos bancários sem registro. Muito populares, com eles não era preciso colocar informações como os dados de quem estava comprando, a data de vencimento ou mesmo o valor a ser pago. 

Era vantajoso usar boletos desse tipo, já que era possível mudar as informações quando necessário e as taxas eram menores. Mas acontece que a ausência dessas informações facilitava os golpes, ao ser trocado o código de pagamento. O pagamento era realizado e os valores eram destinados para contas de fraudadores, não da empresa original.

A partir de 2018 a situação mudou e começou a ser usado apenas boletos registrados, que contém os dados necessários para garantir a segurança da transação.

Os principais tipos de boletos são:

  • Boleto avulso: Possui uma cobrança única, com pagamento à vista;
  • Boleto recorrente: Tem uma cobrança frequente, que pode ser mensal, bimestral, trimestral, etc;
  • E boleto carnê: É uma série de boletos geralmente enviados todos juntos. Indicado para quem trabalha com vendas parceladas ou mensais, por exemplo.   

Conheça cada campo do boleto

O boleto bancário traz informações importantes e que foram padronizadas pela FEBRABAN. São elas: data de vencimento, descontos, taxas e multas que podem ser cobradas, o valor a ser pago, banco responsável pela cobrança, informações do cedente, do sacado, código de barras e uma sequência numérica. 

Conheça melhor cada um desses dados:  

  • Banco: Instituição financeira responsável pela emissão e cobrança com base em contrato firmado entre o estabelecimento e ela. O banco, uma vez autorizado a cobrar o pagamento do estabelecimento, creditará o valor devido pelo cliente na conta bancária do estabelecimento;
  • Sacado (Cliente): A pessoa física ou jurídica que paga o boleto. Em boletos registrados é obrigatório informar o CPF ou CNPJ;
  • Cedente (Comerciante): A pessoa física ou jurídica que gera o boleto, é quem efetuou a prestação do serviço ou a venda do produto e que receberá o pagamento;
  • Sacador: Nome, com CPF ou CNPJ de quem receberá o pagamento;
  • Linha digitável: É uma representação numérica do código de barras. Traz informações sobre o número do banco, o fator vencimento e o valor a ser pago; 
  • Código de barras: Código que consiste em um grupo de barras impressas e com padrões variados (sempre 103 mm de comprimento e 13 mm de altura). É projetado para ser digitalizado e lido por um scanner digital;
  • Campo de Identificação: Representação numérica do código de barras, que contém todas as informações necessárias para identificar a conta bancária do Cedente (Estabelecimento) e permitir o desembaraço. Este campo é usado em home banking e self-service banking;
  • Nosso Número: Identificação única do boleto no software da empresa beneficiária. Por meio dele relaciona-se o boleto com a pessoa ou empresa que o pagou;
  • Instruções para o Caixa: Informações usadas no momento do pagamento para saber quais serão os acréscimos cobrados após o vencimento.
capa-ebook-redução-da-inadimplência

5 vantagens do uso do boleto para a sua empresa

O boleto bancário oferece uma variedade de benefícios para clientes e empresas. Em primeiro lugar, é uma grande oportunidade de atingir 29% da população brasileira adulta sem conta em banco.

Conheça outras vantagens de gerar boletos:

1- Facilidade no pagamento

O boleto pode ser pago até a data do vencimento em caixas eletrônicos, agências e internet banking de qualquer banco. A facilidade se estende ainda mais, pois ele pode ser quitado também em agências dos correios, casas lotéricas e até mesmo alguns supermercados. Após o vencimento, só poderá ser pago diretamente em uma agência do banco emissor.

2- Agilidade na cobrança e recebimento mais rápido

Quando um cliente paga por uma compra ou serviço no cartão de crédito sua empresa pode demorar até 30 dias para receber o valor, isso sem dizer de outros custos envolvidos como a taxa cobrada pelo aluguel e uso das maquininhas. Entretanto, com o boleto isso não acontece, em 1 ou 2 dias o pagamento cai na conta. 

3- Oferta de descontos

Caso a pessoa ou empresa efetue o pagamento antes da data de vencimento ela pode ser premiada com uma porcentagem de desconto. É um prêmio para estimular a pontualidade, evitando assim o atraso e possíveis calotes.

4- Cálculo facilitado em caso de atraso

Caso não seja possível pagar na data de vencimento, o boleto bancário já inclui as taxas de juros ou mora. Mais clareza para o cliente, que fica ciente das implicações de atrasar o pagamento, assim o caixa da agência bancária que receberá o pagamento não terá dificuldade para calcular o novo valor. 

5- Possibilidade de protesto

A Lei 9.492/97 regulamenta que uma pessoa ou empresa que não pague um boleto pode ser protestada. Isso significa a formalização do reconhecimento da inadimplência, assim como a cobrança extrajudicial determinando que o devedor salde a dívida em até três dias úteis. Quando isso ocorre o nome fica registrado em cartório e em serviços como SERASA e SPC (Serviço de Proteção ao Crédito). 

Passo a passo para gerar boletos 

Agora que você já entendeu o que é e como funciona um boleto, a sua importância e benefícios, está na hora de gerar boletos! Mas o que então é preciso para começar?

1- Ter uma conta corrente em um banco: O primeiro passo é abrir conta em um banco que ofereça o serviço, seja ele digital ou tradicional;

2- Escolher como será a emissão: Você tem agora dois caminhos a serem seguidos – ou gerar os boletos diretamente no site ou aplicativo da instituição ou escolher uma plataforma tecnológica que ofereça o serviço de geração de boletos, como um ERP

Importante: antes de fazer a escolha considere todas as taxas envolvidas na operação, elas variam em cada instituição ou plataforma tecnológica;

3- Monitorar a geração dos boletos: É importante ter um controle dos boletos emitidos, com o objetivo de verificar se foram todos pagos até a data do vencimento.

Conte com a ajuda do ERP WebMais

O ERP da WebMais é capaz de gerar boletos com rapidez e simplicidade. O software permite que o envio dos boletos seja realizado inclusive em lote. Muito mais facilidade para a sua empresa, já que você gera os boletos de todos os clientes do dia e pode enviá-los com apenas um clique.

Como a emissão é ilimitada, o cotidiano de organizações que necessitam gerar muitos boletos se torna muito mais fácil. Acabando assim a dor de cabeça de atingir a cota do mês!

Outra grande vantagem é que o ERP WebMais integra todos os setores da empresa, facilitando assim o processo de emissão. Logo, não é necessário digitar novamente as informações do cliente, a integração com o módulo de vendas se encarrega do preenchimento automático.

Quer mais um benefício importante? Muitas vezes seus clientes simplesmente esquecem de pagar um boleto bancário. Ajude-o a não se esquecer ao configurar notificações de cobrança, reduzindo a inadimplência.

Assim como qualquer forma de pagamento, é preciso que a sua empresa tenha controle de quantos boletos foram emitidos. E como agora só são permitidos boletos bancários com registro, é necessário pagar ao gerar boletos, mesmo que o cliente não realize o pagamento.

O ERP WebMais traça todo o caminho percorrido pelo documento, garantindo a confiabilidade e a rastreabilidade dos registros.

Em resumo: o ERP WebMais traz total controle tanto ao gerar boletos como administrá-los. Fale com um consultor agora mesmo! 

1 Comentário “Gere boletos com facilidade e segurança dentro do seu ERP

Deixe um comentário

três × 2 =