Controle Financeiro: O que é e como adotá-lo em 8 passos?

Entenda O Que É Controle Financeiro e Como Adotá-lo no Seu Negócio em 8 Passos!

Você já deve estar cansado de saber que o controle financeiro é fundamental para o sucesso de um negócio. Mas como a gente sabe que, às vezes, o óbvio precisa ser dito, vamos reforçar o tema aqui.

Mesmo com a pandemia, o número de abertura de empreendimentos vem crescendo no Brasil, de acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). 

Afinal, muita gente precisou empreender para manter os ganhos ou aproveitou oportunidades de negócio que surgiram com a crise.

Ainda assim, os dados sobre fechamento de empresas nos primeiros anos de vida continuam assustando. 

De todas as novas empresas que abrem no Brasil, 48% fecham em até três anos, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. E você já deve imaginar o principal motivo para o fechamento, não é? As finanças. 

Para evitar que isso aconteça com o seu negócio, seja ele novo ou já consolidado, vamos ajudar você a manter um controle financeiro adequado. 

Para saber como fazer isso, é só continuar lendo o artigo!

O Que É Planejamento de Controle Financeiro?

O controle financeiro é a sistematização de atividades voltadas para a organização das finanças de uma empresa, com o objetivo de entender a sua real situação econômica, corrigir falhas e aplicar melhorias.

O controle financeiro empresarial adequado é fundamental para manter as contas equilibradas, ferir despesas, controlar gastos, fazer investimentos, criar reservas de emergência e até para planejar a expansão dos negócios.

E tudo isso, como você deve imaginar, influencia diretamente no sucesso da empresa. Afinal, ela foi criada para dar lucro, certo? 

Sem ele, o negócio só vai tomar o seu tempo ou até trazer prejuízos financeiros.

O Que Faz Parte do Controle Financeiro?

Como falamos, o controle financeiro da empresa envolve uma série de atividades, que podem ser de análise, avaliação ou controle.

Esses são os principais processos envolvidos no controle financeiro de uma empresa:

  • análise do fluxo de caixa;
  • controle de entradas e saídas;
  • avaliação de relatórios;
  • controle de saldos bancários, reservas financeiras e investimentos;
  • checagem de dados patrimoniais;
  • controle e pagamento de impostos e tributos;
  • criação e análise de demonstrações contábeis.
Principais processos envolvidos no controle financeiro:

análise do fluxo de caixa;
controle de entradas e saídas;
avaliação de relatórios;
controle de saldos bancários, reservas financeiras e investimentos;
checagem de dados patrimoniais;
controle e pagamento de impostos e tributos;
criação e análise de demonstrações contábeis.

Por Que É Preciso Ter Um Controle Financeiro Eficiente na Sua Empresa?

O controle financeiro permite que toda decisão estratégica do seu negócio seja tomada com base em dados – principalmente aquelas que envolvem o gasto de dinheiro. 

Quando você conhece a saúde financeira do negócio a fundo, sabe exatamente até onde pode ir na hora de fazer novos investimentos, contratar pessoas, fazer compras e até investir em marketing e divulgação, por exemplo.

Caso contrário, pode dar um passo maior do que as pernas e acabar criando dívidas e, consequentemente, atrapalhando o desenvolvimento do negócio.

O controle financeiro adequado também ajuda a empresa a atingir suas metas de forma mais rápida, com planejamento e segurança. 

Em resumo, o controle financeiro ajuda os gestores a entender em que situação a empresa se encontra e para onde caminha. Assim, fica mais fácil elaborar estratégias eficazes para um crescimento saudável.

Como Fazer Controle Financeiro da Sua Empresa em 8 Passos

Agora que você já conhece a importância do planejamento financeiro para empresas, é hora de colocar a mão na massa. 

E se não sabe como começar, não se preocupe – a seguir, listamos 8 passos para você tomar o controle financeiro do seu negócio para si!

8 passos de como fazer controle financeiro da sua empresa:

1 - Capital de Giro;
2 - Controle de Contas a Pagar e a Receber;
3 - Acompanhar o Fluxo de Caixa;
4 - Fazer um Balanço Patrimonial;
5 - DRE - Demonstrativo de Resultados;
6 - Big Data;
7 - Fundo de Reserva Emergencial;
8 - Gestão de Custos.

1 – Capital de Giro

O capital de giro é o valor que a sua empresa precisa ter para que o negócio se mantenha. Ou seja, é a quantia que consegue cobrir os custos básicos do negócio, como folha de pagamento, custos operacionais, encargos, impostos, pagamento de fornecedores, etc.

Para calcular o capital de giro você deve somar o valor das contas a receber e do estoque e diminuir do total o valor dos custos, despesas e contas a pagar.

2 – Controle de Contas a Pagar e a Receber

Registrando tudo o que a empresa tem a pagar e a receber você consegue ter melhor previsibilidade sobre o lucro, o que é muito importante para que você consiga se planejar e entender a situação financeira da empresa. 

Além disso, consegue controlar a inadimplência, criar centros de custos e monitorar melhor os registros de movimentações financeiras.

3 – Acompanhar o Fluxo de Caixa

O controle de fluxo de caixa é um dos passos mais importantes para a organização financeira de uma empresa. A notícia boa é que ele é simples e fácil de fazer.

O objetivo aqui é controlar, literalmente, tudo o que entra e o que sai do caixa da empresa, registrando toda e qualquer movimentação. Essa é a melhor forma de entender a estrutura dos gastos e identificar erros de forma precoce, antes que eles atrapalhem outras áreas da empresa.

4 – Fazer um Balanço Patrimonial

O balanço patrimonial é o que permite a avaliação do resultado geral de todas as movimentações financeiras feitas em um determinado período – o mais comum é que o balanço seja feito uma vez por ano, mas você pode fazer com mais frequência se achar necessário.

Junto com o DRE, sobre o qual falaremos a seguir, esse levantamento é fundamental para que os gestores analisem a viabilidade econômica do negócio e se baseiem para uma tomada de decisão mais acertada.

5 – DRE – Demonstrativo de Resultados

O DRE é um demonstrativo obrigatório para as empresas e deve ser elaborado por um contador experiente. Mas, além de garantir que o negócio cumpre com suas obrigações contábeis, o documento tem um papel muito importante no controle financeiro.

Como ele concentra dados sobre tudo o que foi realizado nos últimos 12 meses, é um documento valioso para o responsável pelo controle financeiro da empresa. 

Dessa forma, é possível tomar decisões e planejar atividades estratégicas que vão garantir a continuidade da empresa e otimizar os próximos resultados.

6 – Big Data

O mercado hoje dispõe de tecnologias que ajudam a gerenciar grandes volumes de dados e cruzar informações de diferentes fontes, o que fortalece ainda mais o controle financeiro, principalmente quando se trata das atividades de análise.

Contar com a tecnologia, apesar de às vezes trazer um gasto significativo para o orçamento mensal, permite um controle mais rígido e eficiente. No final, o investimento em ferramentas retorna em economia nas operações!

7 – Fundo de Reserva Emergencial

Toda empresa precisa ter uma reserva financeira para casos de imprevistos ou emergências. 

E aqui estamos falando sobre qualquer tipo de acontecimento, desde furtos a tragédias ambientais, sem deixar de considerar os períodos de instabilidade do mercado e outras situações que podem diminuir as vendas da empresa ou resultar em perdas materiais.

Ter um fundo para emergências evita que essas situações coloquem em risco a existência do negócio. 

Com esse dinheiro, você pode comprar novos equipamentos caso seja necessário, garantir o pagamento da folha em casos de poucas vendas e minimizar o impacto gerado por qualquer tipo de surpresa desagradável.

8 – Gestão de Custos

Toda empresa tem custos fixos e variáveis e o primeiro passo para gerenciá-los é entender quais são eles e quanto a empresa precisa reservar mensalmente para garantir a sua cobertura.

A boa gestão de custos traz vantagens como a possibilidade de redução das despesas da empresa, aumento dos lucros e mais conhecimento sobre a situação financeira do negócio.

Quais São as Vantagens de Ter Um Software Para Controle Financeiro?

Contar com um software de gestão financeira ajuda a fazer um controle mais eficiente, pois essa ferramenta armazena e organiza todas as informações necessárias em um só lugar. 

Isso permite que você:

  • tenha acesso rápido a relatórios completos sobre a situação financeira da empresa;
  • receba informações com maior precisão;
  • possa acompanhar o negócio de qualquer lugar do mundo;
  • opere de acordo com as exigências fiscais nacionais;
  • integre processos de diversas áreas da empresa.

Conclusão

O controle financeiro empresarial é essencial para ter bons resultados. Sem ele, provavelmente você tomará decisões equivocadas sobre o futuro do negócio e terá prejuízos que podem inclusive colocar em risco a manutenção da empresa.

Como ele envolve muitas atividades e processos, o ideal é contar com a ajuda da tecnologia, que vai tornar o controle mais fácil, prático e preciso!

Deixe um comentário

dezessete − 13 =